Eyes are lakes – Poesia

Everything ends
People meeting by chance
Connection is an odd
We think we live in a big place
when in fact it is so small

Eyes are lakes
you dive in and you get lost
How deep will you go?
How hard can you feel?

Eyes are lakes
There are deeper connections
We can’t control
They will happen

Everything is an odd
It can, it can’t, it could be
Imagination plays a bigger part,
when we’re apart

Eyes are lakes,
and sometimes they’re a blue shade

Odds are tough
They toughen you up
There are universes in your eyes
And inside my mind

They start to hide
Slowly it all comes back, in time
The now, the right place
Because lakes also get dry
They get dry and leave
Before you get too deep…

Beautiful-Lake-1024x768
– Beatriz M

Um passeio pelo bairro, Geocaching e desatenção

Hoje à tarde fomos tomar um café, dar um passeio pelo bairro e uma olhada no Carrefour do shopping (rolê de gente da cidade né nom) aproveitando que faltavam umas coisinhas em casa.

Eu já disse que amo esse bairro? To apaixonadíssima!

IMG_20160423_193828
IMG_20160423_210608
É um pouquinho afastado do centro (mas não muito), então não temos aquela loucura, muvuca, multidões e turistas. Mega tranquilo, bem familiar e muito arborizado ❤
O lado que eu moro é cheio de ruazinhas de paralelepípedo, casinhas fofas e clima de cidade de interior. Longe da ideia que eu tinha de Madrid! E to amaaaaando!

Parece, mas juro que não tenho 80 anos! kkkkk

IMG-20160417-WA0032

IMG-20160417-WA0035

Gosto de subir nas coisas

Olha só a porta desse prédio, não é a coisa mais fofa?! E a caixa de correio! Aiai ❤ kkk

IMG_20160417_155622
dog

To amando tanto esse lugar que to até com medo de gostar demais hahaha. Olha esse parque! Não dá vontade de caminhar aí o dia inteiro? A energia daqui é muito gostosa, você sente no ar.

IMG-20160417-WA0025

Mas mudando um pouco o assunto, conhecem o app Geocaching? É uma espécie de “caça ao tesouro” coletiva, e MUITO divertido! Principalmente pra fazer em viagens etc. Pessoas escondem objetos pela cidade, um tipo de tubinho metálico, e dentro dele tem um papel. No app tem as direções pra você encontrar os geocaches mais próximos de você. Aí sempre que alguém encontra o tubinho, escreve o nome lá dentro, tira uma foto e marca que no aplicativo!

Descobri que aqui perto tinha um, literalmente na rua do lado, e fomos procurá-lo. Foram uns longos 40 minutos buscando e buscando e buscando… Escureceu, acendemos as lanternas do celular, e nada. É, aconteceu alguma coisa com o tubinho, deve ter ido pro lixo. Muito triste. Voltamos pra casa bem chateados. Pelo menos foi divertido! Mas a minha surpresa foi chegar em casa e descobrir que meu NIE (doc de identidade) não estava na minha bolsa! Lá vai…

Minha bolsa é minúcula e só cabe o celular e o NIE (que é um cartãozinho). Quando eu puxo o cel, às vezes ele sai junto. Claramente isso aconteceu, ele caiu no chão e eu não vi. Caça ao tesouro versão vida real agora!
Voltamos à sair de casa, percorremos o caminho toooodo até o shopping, passando pelo parque… perguntamos pra segurança, fomos na polícia ver se alguém tinha encontrado, nada. No caminho de casa já meio cabisbaixa e com frio, retornamos ao lugar do geocaching, que era na rua do lado de casa. Por sorte alguém encontrou e colocou em cima de um murinho pra deixar fácil de ver! Ufa………………… Valeu boa alma madrileña! Sério! Vontade de abraçar essa pessoa. No final, não encontrei o geocache mas encontrei um tesouro mais valioso, que me custaria muito stress pra fazer outra vez rs. Muitas emoções pra um dia…

IMG_20160423_211101

Ouço o sino dessa igrejinha de meia em meia hora todos os dias –  e adoro! O geocache fica nessa praça, meu NIE foi perdido em algum momento antes/após essa foto rs.

Enfim… Meu bairro é fofo, eu sou desatenta, e você precisa conhecer o Geocaching.

Até outrora! 😉

Mudando pra Madrid

É minha gente, deixei Ibiza!

Sabe, tava mais que na hora. Eu já tava muito acomodada com aquela ilha. E aquele lugar não era pra mim. Nunca foi! Eu sempre soube que tudo aquilo era apenas uma fase de transição. Adoro Ibiza, e fico feliz em ter aquele lugar paradisíaco pra passar férias, mas pra morar… Nhé, não sei.

A oportunidade pra ir pra Madrid surgiu com o emprego novo do boy, e mesmo antes de fazer a entrevista já estávamos procurando lugar pra morar.
Tendo tudo confirmado, fizemos as malas e -WOOSH- viemos o mais rápido possível.
Arranjamos um quartinho no Airbnb pra passar uns dias enquanto visitávamos apartamentos e tal. Acabou que deu tudo TÃO certo que ficamos com o primeiro apartamento que visitamos mesmo. Um que já tinhamos visto na internet e nos apaixonado ❤ era pra ser nosso, tava escrito nas estrelas! rs.

IMG_6919

Plaza Mayor, marco do centro da cidade

Eu nunca tinha pisado o pé em Madrid, fora o dia que cheguei de São Paulo e fiz escala no aeroporto, não conta né.
Segunda vez que me mudo pra uma cidade que nem conheço, haha. Mas não ta decepcionando nem um pouquinho! Eu achei que haveria um estranhamento inicial por ser “cidade grande” de novo, deu até friozinho na barriga de pensar. Mas descobri que paulistana da gema será sempre paulistana da gema. O costume fica só adormecido, porém nunca vai embora 😛

IMG_6898

Plaza Mayor

Entramos no apartamento ontem, apenas 5 dias depois de chegar na cidade, à noite ligamos pra empresa da internet pra fazer a transferência do nosso sinal de Ibiza, pra nossa surpresa eles já marcaram pro dia seguinte meio dia, e hoje à tarde já tava com internet funcionando em casa! Minha nossa, palmas pra rapidez e funcionamente de Madrid 😮 (ou será que to numa maré de sorte?)
Por enquanto só temos dois pratos, dois garfos, duas facas, duas colheres, um copo… Sabe como é né? Hahaha.

IMG_6954

Jardins do Palacio Real

Fizemos um Free Tour no sábado, pra já pegar o gostinho da cidade, e foi maravilhoso. Palmas pro Rafa, guia em castellano! Pessoal muito legal, o tour dura umas 3 horas e você aprende muito sobre a história milenar da cidade. E ainda rola uma pausa pra comer tapas! Recomendo.

Bah, por enquanto é isso. A mudança é muito recente e ainda não tem tanto o que dizer! Só que já estou gostando de Madrid muito mais do que eu esperava (nunca espero nada de nada, por isso fico toda boba depois hahaha) que cidade LINDA! Me lembra muito minha São Paulo, mas bem… é diferente. To super animada de estar aqui, esperem por mais notícias!

E calma, os posts sobre Ibiza ainda estão no forno. Uma hora eles ficam prontos. 😛

Inté mais! 😉

 

 

Colaboração no blog amigo e Mega Novidade

Mês passado a Larissa do ¡Esto es Madrid, Madrid! me chamou pra fazer uma colaboração pro blog dela. Fiquei muito surpresa e feliz! Primeira vez que escrevo pra outro blog! Uau, me senti até importante, rs.

Ela mora em Madrid, então ela só pode falar como é morar em Madrid. Pra que as pessoas possam saber como é morar em outras regiões da Espanha, ela criou esta série colaborativa bacaníssima com outros escritores, que moram em outras regiões. Eaí eu escrevi um pouco do que eu sabia sobre Ibiza!

Confiram o post aqui —–> Como é morar em Ibiza?

Já que to aqui, aproveito pra dizer também que sumi de novooo, minha nossa, quando vou aprender? rs
A vida acontece né, aí as coisas se acumulam e eu esqueço de escrever. Mas to com VÁRIAS novidades pra contar, uma delas inclusive, que eu me mudei de Ibiza! 😮

Pois é! Agora to em Madrid, me mudei há exatos 4 dias, e pra falar a verdade ainda to sem casa, to hospedada num quartinho do AirBnb esperando nossa documentação ser aprovada pra entrar no nosso apê (se tudo der certo, amanhã). Nunca tinha vindo pra cá, fora a conexão no aeroporto ano passado, então ainda é tudo novo e brilhante!

Que loucura! Aconteceu tudo meio rápido e cá estamos nós. Saí da roça e voltei pra cidade grande… Achei que ia me sentir meio descolada logo no começo, mas já cheguei chegando e parece que nunca nem deixei o metrô e as multidões. To adorando Madrid!
Eu já tava tão mal acostumada e conformada com a tranquilidade de Ibiza, precisava dessa injeção de adrenalina de novo.
Vou sentir falta do mar, da praia, claro… Mas deixemos isso pras férias. Agora tenho taaaanto o que ver podendo viajar por terra! Hahaha. Traumas de alguém que passou 1 ano e 2 meses ilhado.
Fechei mais uma etapa na minha vida, hora de recomeçar, tudo outra vez.

Próximo post falo mais sobre minha mudança (QUE SACO MUDAR DE NOVO!!!) e outras coisitas más.

Inté! 😉

1 ano

Hoje faz 1 ano que eu saí de casa, amanhã fará 1 ano que fiz de Ibiza minha nova casa.

20150209_113140

Me despedindo dos meus amores

Eu poderia dizer o clichê “Nossa! Passou tão rápido!”, mas na verdade eu sinto que o tempo passou normalmente, como deveria passar.

Lembrando de cada momento desde a minha despedida em casa até agora, eu consigo reviver todas as emoções, todas encaixadas em seus devidos lugares no tempo. Lembro de cada mês e penso em todos os acontecimentos, descobertas.

Quando eu cheguei era inverno, penso em como estava frio, MUITO mais frio que agora, e não sei se é porque realmente o inverno foi mais gelado ou sou eu que estou mais acostumada (na verdade acho que é a primeira opção mesmo, esse inverno não tá com nada rs). Fiquei doente várias vezes e foi bem cocozento.

Penso na mudança de estação pra primavera, o clima ficando mais agradável. Depois o verão que aproveitei com todas as minhas forças!
O outono que trouxe de volta a calmaria da cidade, e agora, novamente o inverno, pra marcar o aniversário da minha mudança.

Talvez eu consiga “sentir” melhor as passagens de tempo pelo fato de as quatro estações do ano aqui serem bem definidas. No Brasil é sempre verão né, então eu geralmente me baseava na cor/tamanho que o meu cabelo estava na época pra lembrar das datas rs.

1 ano depois e só agora eu to conhecendo pessoas e me “integrando” na sociedade. Dá pra dizer que eu só mudei de casa mesmo, porque fora sair pra comer de vez em quando, ir ao mercado e fazer VÁRIAS visitas à órgãos públicos, ainda não sei o que é ter uma “vida espanhola” haha. Mas é normal que uma adaptação completa demore. Eu acho.

Quando eu comecei a ler blogs de brasileiros(as) que moram fora do Brasil, diversas vezes me deparei com os momentos chá de realidade. As pessoas costumam dizer que quem mora no Brasil se encanta demais pensando na vida fora do país, acha que é tudo mil maravilhas. Não digo que eu achava isso, eu tinha uma boa ideia de como eram as coisas, sei que cada lugar tem seus podres e não existe nada de paraíso só porque é ~Europa~. A vida continua igual. Mas depois de 1 ano aqui, entendo bem melhor o que essas pessoas queriam dizer.

Só porque você mora em outro país, não significa que sua vida toda vai mudar e vai ser maravilhoso e você vai viver conto de fadas, vida de filme…… Você continua tendo que limpar sua casa, fazer comida, ir ao mercado, sair pra trabalhar, esperar em fila, reclamar da internet…

Quem mora com um parceiro ou parceira estrangeiro, definitivamente sente mais mudanças. Mas aqui em casa falamos português, temos costumes (quase sempre) brasileiros e comemos arroz com feijão. Ou seja, de vez em quando você se pega pensando “Por que eu deixei minha família, amigos e comida deliciosa pra trás pra morar do outro lado do mundo e fazer tudo igual?”. Bem, porque não é tudo igual. Simples assim! Podemos até fazer coisas do mesmo jeito, mas só de estar aqui, vivendo, sonhando, já faz toda a diferença.

Há coisas que são impossíveis de substituir, por exemplo a segurança que temos aqui. É incrível poder sair pra rua a hora que eu quiser e não me preocupar. Eu nunca descuido dos meus pertences e checo minha bolsa de 5 em 5 minutos (como toda boa paulistana), mas sei que as probabilidades de alguém me abordar com uma arma e levar tudo que eu tenho inclusive minha vida são ridiculamente baixas.

Porém, isso não me alivia da preocupação que eu tenho com meus entes queridos que estão no Brasil e ainda precisam conviver com essa realidade todos os dias. Eu já era paranoica e preocupada lá, e isso não mudou, mas agora eu to longe, o que piora um pouquinho.

Pra viver essa vida dupla, de distâncias e saudades, é preciso sempre fazer um balanço de prós e contras. Um exercício diário de “vale mesmo a pena?”, só assim pra continuar firme e forte na sua decisão de deixar o conforto do seu mundinho pra desbravar o mundão.

Falando assim pode parecer que eu me arrependi, mas pelo contrário, eu to muito feliz de ter feito a loucura que eu fiz. Claro que tive momentos de me encolher na cama e chorar, de ficar cheia de dúvidas. Mas sempre ergui a cabeça e continuei em frente. Essas passagens foram ficando cada vez menos presentes, e agora são só um pontinho cinza na memória.

Esse ano novo já começou cheio de surpresas e alegrias.  Nossa, 2016 começou faz 2 meses mas pra mim já parece que passou 6! Hahaha. Muitas emoções. Dizem que felicidade não compartilhada dura mais, mas ó, preciso dizer, tá tudo lindo no momento! Ou melhor, como já disse nosso maravilhoso pensador contemporâneo brasileiro:

“Tá tranquilo, tá favorável.”
– MC Bin Laden (2015)

Acabou o mistério

O meu post mais lido é “Monday Tracks #3“, quando eu compartilhei uma música do ator Crispin Glover.
Eu nunca soube por que raios esse post tinha tanto acesso, sempre achei isso engraçado, porque é a música mais zoada que eu compartilhei, rs. Mas todo dia eu olhava as estatísticas do blog, e lá estava ele, sempre alguém acessando.
Aí eu descobri que dá pra ver as pesquisas que as pessoas fazem até chegar no seu blog, e agora descobri o por quê hahahaha
Valeu Crispin Glover por ser tão misterioso e requisitado!
image

Peripécias de uma Banana no Verão

Bem no meio do inverno e a Bananona aqui fazendo post sobre o verão. É, eu sei. Sou dessas, se não acostumou, que acostume agora! Hehe.

Pensando agora sobre o verão de 2015, preciso dizer que aproveitei, E MUITO. Caramba, fiz de tudo e um pouco mais. Perdi as contas de quantas vezes fui pra praia, tomei muito banho de mar, muito mesmo. Quem me conhece sabe que sou uma sereia, ninguém me separa dessa água salgada!

20150726_144230

Nadei de dia, nadei de noite, vi peixinhos, vi um polvo, fui queimada por água-viva, pulei no mar do topo de uma pedra, vi o pôr do sol tocar o mar ao som de tambores e salva de palmas.

DSC04641

Pôr do Sol visto da praia Benirrás

20150816_204123

IMG_4353

Issae é tudo água-viva morta, e eu tava nadando nessa água, toda feliz e saltitante! rs

1

Calma, ele voltou pra água em segurança.

20150823_170123

Fiz trilhas por toda a cidade, vi paisagens de tirar o fôlego. Fiz uma cicloviagem de um dia na ilha vizinha, foram 40 km de pedalada de muita subida e poucas descidas. Almocei rodeada de lagartixas, com a vista pro horizonte do Mar Mediterrâneo. Ah é, também tive uma insolação.

IMG_4144IMG_4099IMG_4122

Meti minha bicicleta na parede e me ralei inteira (adquiri uma marca no joelho pra vida toda rs… )

20150523_154718

Não parece ruim mas juro que tava bem pior que na foto rs. Ainda conto essa história!

Olha, nunca pedalei tanto! Antes de vir pra cá eu nunca nem tinha andado de bicicleta na rua, agora já peguei até estrada. Terminei a temporada de verão com chave de ouro, bunda doendo e coxa assada.

IMG_4398

Comecei a aprender mandarim, conheci chineses e com isso consegui um bico em um restaurante chinês! Trabalhei por 1 mês como garçonete e ajudante, aprendi como é ter uma chefe chinesa, melhorei muito meu espanhol, e aprendi a fazer isso:

IMG_20150911_204850

Pois é, como eu disse, fiz de tudo e um pouco mais. Houveram momentos que eu pensei que não estava aproveitando o suficiente, o que é no mínimo engraçado, lendo todas essas coisas aí em cima. A verdade é que eu sou ansiosa mesmo e tive medo de realmente não fazer tudo que podia, e me arrepender depois. Vitória, porque não me arrependo um segundo de qualquer coisa que deixei de fazer! Fiz tudo! Haha.

Devo dizer que o verão de 2015 foi realmente inesquecível. Foi meu primeiro verão espanhol, e apenas espero que os próximos sejam tão bons e cheios de deliciosas memórias como esse! Seja aqui mesmo na Espanha, ou em qualquer outro lugar.

Também encerrei todo o detestável e infinito processo burocrático pra pegar minha documentção aqui, e escrevi um “manual” de como fazer tudo que eu fiz. Porque olha, encontrar informações (corretas) seja na internet, no consulado, nos órgãos do governo, com as pessoas… Foi tudo tão difícil!!! Ainda me surpreende que consegui fazer tudo sozinha, sem advogado, despachante, praticamente nenhuma ajuda de nada nem ninguém. Não quero que continue sendo assim pras pessoas que querem vir pra cá, ninguém merece. Então escrevi um documento de umas 20 páginas explicando todo o processo, quase desenhado, bem fácil de entender. Em alguns dias coloco o link aqui no blog.

Bem, como vocês podem ver, tenho todas essas peripécias aí pra contar. Muita coisa pra escrever, muita foto pra redimensionar no paint rs.
Estarei desde já espantando a preguiça e arregaçando as mangas.

Inté mais! 😉

Obs.: quem me segue no Instagram esteve por dentro de praticamente tudo que eu contei aí! Se não me segue ainda, corre lá ——-> Clique Aqui!