Verão Sem Identidade

Ibiza no verão é uma mescla imensa de nacionalidades, turistas por todos os lados. Isso é óbvio.
Eu nunca tinha sentido como é isso na pele até vir morar aqui. Sou de São Paulo, uma cidade multicultural – eu mesmo morava em um bairro onde se falava mais chinês e japonês que o próprio português. Porém, não tão turística como um lugar igual Ibiza.

Sei que em algumas cidades grandes e turísticas europeias, como Londres e Paris por exemplo, isso é algo rotineiro, algo que a cidade vive 24/7, 365 dias por ano. Não existe tempo ruim, faça sol ou faça chuva, os turistas estarão lá. Mas Ibiza é uma ilha que vive de temporada, o que quer dizer que: só funciona no verão. O inverno aqui é vazio, solitário, silencioso… E bem espanhol. Já a partir da primavera, tudo começa a voltar à ativa, e parece que a ilha acorda após uma longa hibernação. A ilha deixa sua identidade pra trás, e se torna completamente internacional.

Aqui eu entendi a mistura de povos que acontece na Europa, com todos esses países tão pertinho um dos outros – e tamanho fácil acesso entre eles.

Às vezes ando na rua aqui, e me sinto na Inglaterra, na Alemanha, na Holanda, na Itália… Tudo menos Espanha.
Tem dias que eu até brinco, fico vendo quanto tempo leva até eu ouvir alguém falando espanhol. Dependendo da região que você está, isso pode levar um bom tempo.

Brincamos também sobre Ibiza ser o litoral da Inglaterra, enquanto Palma de Mallorca (a ilha ao lado) é o litoral da Alemanha, rs.

A cidade de Sant Antoni de Portmany é onde há a maior concentração de britânicos em toda a ilha. Eles são nossos turistas nº1, então é bem comum ouvir sotaque britânico pra tudo quanto é lado.

Ibiza no verão não é a loucura que eu achei que fosse. Quem vê de fora certamente pensa que é igualzinho como passa na TV. Mas eu percebi que se você não quer festa e loucura, elas não chegam até você.

A cidade de Ibiza, onde moro, é bem tranquila comparada à outras mais movimentadas (Sant Antoni, por exemplo). Não se vê nada de estranho nas ruas, se vê muitas famílias, pessoas indo aproveitar a praia, dando um passeio pelo porto… É um verão comum, ordinário. É o velho caso de “quem procura, acha”, porque aqui, você só acha aquela loucura toda pela qual Ibiza é famosa, se você realmente procurar.

Bem… Sant Antoni é sim um caso à parte, já que a única vez que visitei a cidade à noite, vi gente pelada, gente drogada, gente bêbada, gente brigando, gente gritando… Agora você já sabe onde ir caso queira ver tudo isso! Haha (E agora você também sabe porque os britânicos tem tanta má fama por aqui…)

E onde quero chegar? Na verdade estava apenas refletindo sobre o que observei nesse verão que já está chegando ao fim.

Ibiza no verão, terra dos intermináveis dias de Sol, e dos jogos de “adivinha qual o idioma” toda vez que vai à rua. Não necessariamente algo ruim, claro. Eu mesma gosto de ver toda essa mistura.

Agora que já estou de saco cheio do calor, e dando graças pelos dias de chuva, fico apenas imaginando como será a transição para o retorno do inverno, aos dias frios, vazios, e (quase) completamente espanhois. A ilha será abandonada por mais um ano, suas praias vão descansar do lixo e da superlotação. Hibernará, mais uma vez, até os próximos dias de Sol.

Anúncios

11 comentários sobre “Verão Sem Identidade

  1. Vem inverno, por favor 😦
    Não aguento mais esse verão (2)

    Ou melhor, como se faz em Ibiza:
    I can’t take this summer anymore
    Ich kann in diesem Sommer nicht gehen
    Je ne peux pas aller cet été
    Я не могу пойти этим летом

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que Ibiza seria ‘puramente’ turistas no verão eu já previa, mas não ser uma loucra total… que surpresa!!
    Sabe que também gosto de brincar ‘qual o idoma’; mas pras bandas de cá só agora, com ouvido treinado, é que posso brincar de verdade – indo pro leste, é tudo muito parecido: russo, polaco, ucraniano, etc

    Curtir

    • Pois é Gi! A gente é muito enganado pela mídia… Eu passei o verão inteiro aqui sem ver loucura nenhuma, foram 2 meses completamente normais, fora um pouco mais de trânsito rs. Se eu falo que aqui é tranquilo ninguém acredita!
      E quanto aos idiomas eslavos, realmente, eu nunca sei quando é tcheco, russo, polonês… haha

      Curtir

  3. Gostei da reflexão. Sempre me perguntei como seria morar num lugar turístico vendo gente “estranha” o tempo todo, já que também sou de São Paulo e apesar de haver muitos imigrantes, eles estão lá para morar e não é exatamente a mesma coisa – além disso, eu morava num bairro “bem bairro”. E essa máxima de “quem procura, acha” vale pra tudo na vida.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Já morei em cidades de veraneio e não via a hora do verão acabar e os turistas irem embora.
    Namorei um inglês que ía todo ano com a família para Ibiza… eu até convidava para conhecer um pouco o resto do mundo, mas a viagem para Ibiza era uma tradição. Achei meio white trash da parte deles, sei lá..rs
    bjos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s