Colaboração no blog amigo e Mega Novidade

Mês passado a Larissa do ¡Esto es Madrid, Madrid! me chamou pra fazer uma colaboração pro blog dela. Fiquei muito surpresa e feliz! Primeira vez que escrevo pra outro blog! Uau, me senti até importante, rs.

Ela mora em Madrid, então ela só pode falar como é morar em Madrid. Pra que as pessoas possam saber como é morar em outras regiões da Espanha, ela criou esta série colaborativa bacaníssima com outros escritores, que moram em outras regiões. Eaí eu escrevi um pouco do que eu sabia sobre Ibiza!

Confiram o post aqui —–> Como é morar em Ibiza?

Já que to aqui, aproveito pra dizer também que sumi de novooo, minha nossa, quando vou aprender? rs
A vida acontece né, aí as coisas se acumulam e eu esqueço de escrever. Mas to com VÁRIAS novidades pra contar, uma delas inclusive, que eu me mudei de Ibiza! 😮

Pois é! Agora to em Madrid, me mudei há exatos 4 dias, e pra falar a verdade ainda to sem casa, to hospedada num quartinho do AirBnb esperando nossa documentação ser aprovada pra entrar no nosso apê (se tudo der certo, amanhã). Nunca tinha vindo pra cá, fora a conexão no aeroporto ano passado, então ainda é tudo novo e brilhante!

Que loucura! Aconteceu tudo meio rápido e cá estamos nós. Saí da roça e voltei pra cidade grande… Achei que ia me sentir meio descolada logo no começo, mas já cheguei chegando e parece que nunca nem deixei o metrô e as multidões. To adorando Madrid!
Eu já tava tão mal acostumada e conformada com a tranquilidade de Ibiza, precisava dessa injeção de adrenalina de novo.
Vou sentir falta do mar, da praia, claro… Mas deixemos isso pras férias. Agora tenho taaaanto o que ver podendo viajar por terra! Hahaha. Traumas de alguém que passou 1 ano e 2 meses ilhado.
Fechei mais uma etapa na minha vida, hora de recomeçar, tudo outra vez.

Próximo post falo mais sobre minha mudança (QUE SACO MUDAR DE NOVO!!!) e outras coisitas más.

Inté! 😉

Anúncios

1 ano

Hoje faz 1 ano que eu saí de casa, amanhã fará 1 ano que fiz de Ibiza minha nova casa.

20150209_113140

Me despedindo dos meus amores

Eu poderia dizer o clichê “Nossa! Passou tão rápido!”, mas na verdade eu sinto que o tempo passou normalmente, como deveria passar.

Lembrando de cada momento desde a minha despedida em casa até agora, eu consigo reviver todas as emoções, todas encaixadas em seus devidos lugares no tempo. Lembro de cada mês e penso em todos os acontecimentos, descobertas.

Quando eu cheguei era inverno, penso em como estava frio, MUITO mais frio que agora, e não sei se é porque realmente o inverno foi mais gelado ou sou eu que estou mais acostumada (na verdade acho que é a primeira opção mesmo, esse inverno não tá com nada rs). Fiquei doente várias vezes e foi bem cocozento.

Penso na mudança de estação pra primavera, o clima ficando mais agradável. Depois o verão que aproveitei com todas as minhas forças!
O outono que trouxe de volta a calmaria da cidade, e agora, novamente o inverno, pra marcar o aniversário da minha mudança.

Talvez eu consiga “sentir” melhor as passagens de tempo pelo fato de as quatro estações do ano aqui serem bem definidas. No Brasil é sempre verão né, então eu geralmente me baseava na cor/tamanho que o meu cabelo estava na época pra lembrar das datas rs.

1 ano depois e só agora eu to conhecendo pessoas e me “integrando” na sociedade. Dá pra dizer que eu só mudei de casa mesmo, porque fora sair pra comer de vez em quando, ir ao mercado e fazer VÁRIAS visitas à órgãos públicos, ainda não sei o que é ter uma “vida espanhola” haha. Mas é normal que uma adaptação completa demore. Eu acho.

Quando eu comecei a ler blogs de brasileiros(as) que moram fora do Brasil, diversas vezes me deparei com os momentos chá de realidade. As pessoas costumam dizer que quem mora no Brasil se encanta demais pensando na vida fora do país, acha que é tudo mil maravilhas. Não digo que eu achava isso, eu tinha uma boa ideia de como eram as coisas, sei que cada lugar tem seus podres e não existe nada de paraíso só porque é ~Europa~. A vida continua igual. Mas depois de 1 ano aqui, entendo bem melhor o que essas pessoas queriam dizer.

Só porque você mora em outro país, não significa que sua vida toda vai mudar e vai ser maravilhoso e você vai viver conto de fadas, vida de filme…… Você continua tendo que limpar sua casa, fazer comida, ir ao mercado, sair pra trabalhar, esperar em fila, reclamar da internet…

Quem mora com um parceiro ou parceira estrangeiro, definitivamente sente mais mudanças. Mas aqui em casa falamos português, temos costumes (quase sempre) brasileiros e comemos arroz com feijão. Ou seja, de vez em quando você se pega pensando “Por que eu deixei minha família, amigos e comida deliciosa pra trás pra morar do outro lado do mundo e fazer tudo igual?”. Bem, porque não é tudo igual. Simples assim! Podemos até fazer coisas do mesmo jeito, mas só de estar aqui, vivendo, sonhando, já faz toda a diferença.

Há coisas que são impossíveis de substituir, por exemplo a segurança que temos aqui. É incrível poder sair pra rua a hora que eu quiser e não me preocupar. Eu nunca descuido dos meus pertences e checo minha bolsa de 5 em 5 minutos (como toda boa paulistana), mas sei que as probabilidades de alguém me abordar com uma arma e levar tudo que eu tenho inclusive minha vida são ridiculamente baixas.

Porém, isso não me alivia da preocupação que eu tenho com meus entes queridos que estão no Brasil e ainda precisam conviver com essa realidade todos os dias. Eu já era paranoica e preocupada lá, e isso não mudou, mas agora eu to longe, o que piora um pouquinho.

Pra viver essa vida dupla, de distâncias e saudades, é preciso sempre fazer um balanço de prós e contras. Um exercício diário de “vale mesmo a pena?”, só assim pra continuar firme e forte na sua decisão de deixar o conforto do seu mundinho pra desbravar o mundão.

Falando assim pode parecer que eu me arrependi, mas pelo contrário, eu to muito feliz de ter feito a loucura que eu fiz. Claro que tive momentos de me encolher na cama e chorar, de ficar cheia de dúvidas. Mas sempre ergui a cabeça e continuei em frente. Essas passagens foram ficando cada vez menos presentes, e agora são só um pontinho cinza na memória.

Esse ano novo já começou cheio de surpresas e alegrias.  Nossa, 2016 começou faz 2 meses mas pra mim já parece que passou 6! Hahaha. Muitas emoções. Dizem que felicidade não compartilhada dura mais, mas ó, preciso dizer, tá tudo lindo no momento! Ou melhor, como já disse nosso maravilhoso pensador contemporâneo brasileiro:

“Tá tranquilo, tá favorável.”
– MC Bin Laden (2015)

Peripécias de uma Banana no Verão

Bem no meio do inverno e a Bananona aqui fazendo post sobre o verão. É, eu sei. Sou dessas, se não acostumou, que acostume agora! Hehe.

Pensando agora sobre o verão de 2015, preciso dizer que aproveitei, E MUITO. Caramba, fiz de tudo e um pouco mais. Perdi as contas de quantas vezes fui pra praia, tomei muito banho de mar, muito mesmo. Quem me conhece sabe que sou uma sereia, ninguém me separa dessa água salgada!

20150726_144230

Nadei de dia, nadei de noite, vi peixinhos, vi um polvo, fui queimada por água-viva, pulei no mar do topo de uma pedra, vi o pôr do sol tocar o mar ao som de tambores e salva de palmas.

DSC04641

Pôr do Sol visto da praia Benirrás

20150816_204123

IMG_4353

Issae é tudo água-viva morta, e eu tava nadando nessa água, toda feliz e saltitante! rs

1

Calma, ele voltou pra água em segurança.

20150823_170123

Fiz trilhas por toda a cidade, vi paisagens de tirar o fôlego. Fiz uma cicloviagem de um dia na ilha vizinha, foram 40 km de pedalada de muita subida e poucas descidas. Almocei rodeada de lagartixas, com a vista pro horizonte do Mar Mediterrâneo. Ah é, também tive uma insolação.

IMG_4144IMG_4099IMG_4122

Meti minha bicicleta na parede e me ralei inteira (adquiri uma marca no joelho pra vida toda rs… )

20150523_154718

Não parece ruim mas juro que tava bem pior que na foto rs. Ainda conto essa história!

Olha, nunca pedalei tanto! Antes de vir pra cá eu nunca nem tinha andado de bicicleta na rua, agora já peguei até estrada. Terminei a temporada de verão com chave de ouro, bunda doendo e coxa assada.

IMG_4398

Comecei a aprender mandarim, conheci chineses e com isso consegui um bico em um restaurante chinês! Trabalhei por 1 mês como garçonete e ajudante, aprendi como é ter uma chefe chinesa, melhorei muito meu espanhol, e aprendi a fazer isso:

IMG_20150911_204850

Pois é, como eu disse, fiz de tudo e um pouco mais. Houveram momentos que eu pensei que não estava aproveitando o suficiente, o que é no mínimo engraçado, lendo todas essas coisas aí em cima. A verdade é que eu sou ansiosa mesmo e tive medo de realmente não fazer tudo que podia, e me arrepender depois. Vitória, porque não me arrependo um segundo de qualquer coisa que deixei de fazer! Fiz tudo! Haha.

Devo dizer que o verão de 2015 foi realmente inesquecível. Foi meu primeiro verão espanhol, e apenas espero que os próximos sejam tão bons e cheios de deliciosas memórias como esse! Seja aqui mesmo na Espanha, ou em qualquer outro lugar.

Também encerrei todo o detestável e infinito processo burocrático pra pegar minha documentção aqui, e escrevi um “manual” de como fazer tudo que eu fiz. Porque olha, encontrar informações (corretas) seja na internet, no consulado, nos órgãos do governo, com as pessoas… Foi tudo tão difícil!!! Ainda me surpreende que consegui fazer tudo sozinha, sem advogado, despachante, praticamente nenhuma ajuda de nada nem ninguém. Não quero que continue sendo assim pras pessoas que querem vir pra cá, ninguém merece. Então escrevi um documento de umas 20 páginas explicando todo o processo, quase desenhado, bem fácil de entender. Em alguns dias coloco o link aqui no blog.

Bem, como vocês podem ver, tenho todas essas peripécias aí pra contar. Muita coisa pra escrever, muita foto pra redimensionar no paint rs.
Estarei desde já espantando a preguiça e arregaçando as mangas.

Inté mais! 😉

Obs.: quem me segue no Instagram esteve por dentro de praticamente tudo que eu contei aí! Se não me segue ainda, corre lá ——-> Clique Aqui!

Dia de Agradecer

Todo dia é dia de agradecer, agradecer pelas nossa vidas, por acordar mais um dia com saúde, por ter nossas pessoas amadas vivas e bem, mesmo que longe.

Mas não é todo dia que lembramos de agradecer, eu pelo menos, esqueço bem frequentemente.

Hoje foi um dia de sair pra caminhar. Apesar do inverno estar chegando, está um dia maravilhoso de sol, feriado, então todo mundo saiu pra aproveitar.

Hoje foi um dia de respirar fundo, olhar o mar, o movimento das folhas com a brisa marítima, os passarinhos voando pelas árvores.
Um dia pra fechar os olhos, e simplesmente agradecer por estar respirando. Por ter a graça da natureza ao meu redor todos os dias, por poder sorrir e ser feliz por conta própria, por estar de bem com a vida apesar das dificuldades que aparecem.

image

Obrigada.

E convido vocês a agradecerem também, seja a quem for, seja ao que for. Tire um momento pra meditar, pra ficar em silêncio, ou ouvindo música e dançando como se não houvesse amanhã. Sinta o ritmo. Aproveite os momentos que chegam e vão embora. Nada disso é eterno.

Obrigada também aos leitores que me acompanham, vocês me motivam a continuar escrevendo sempre.

Inté mais!
😉

Mundo Pequeno…

Já faz um tempo que ando acordando tarde, porque eu tenho insônia, acabo indo dormir 4h da manhã e não consigo acordar antes das 11h. Sem ter um trabalho, uma aula, uma responsabilidade grande, pra mim fica difícil.
Porém hoje foi diferente, consegui ir dormir um pouco mais cedo ontem, e acordei bem mais cedo hoje.
Levantei às 08:30h e, cheia de ânimo, saí pra correr. Coisa que nunca faço, mas to tentando pegar o costume.
Corri por 1 hora, voltei pra casa às 10:30h, tomei banho, comi alguma coisa, fiz tarefas de casa, fiquei no computador… E aí resolvi sair de novo pra tirar umas fotos. Outro costume que to tentando manter agora que tenho uma câmera legal.
Fui pra praia aqui perto de casa, e fiquei um tempão observando as pessoas, o mar, as algas levadas pra areia…
Estava no pier tirando umas fotos bem bacanas, quando um cara apareceu com uma malinha de mão e foi pra ponta do pier.

IMG_5592

Claro que eu não ia perder o clique.

IMG_5617

Ele deixou a mala no meio e foi pra ponta, parecia de propósito a montagem rs rendeu algumas belas fotos.

IMG_5623IMG_5620

Depois eu fui até ele e perguntei se ele queria que eu mandasse as fotos pra ele. Ele era italiano, não falava quase nada de espanhol, tinha um inglês bem ruinzinho, e mesmo eu também não entendendo absolutamente nada de italiano, acabamos sentando lá e ficamos conversando por 1 hora, talvez até mais. O milagre da comunicação humana!

Eu sou tímida, meio antisocial, tenho vergonha e muita dificuldade de me aproximar das pessoas. Acho que hoje foi uma combinação de lua, bom humor, planetas alinhados… Só sei que alguma coisa fez um clique e tudo fluiu. Fazia milênios que eu não conhecia uma pessoa nova, foi tão bom!

A conversa foi bem embolada, cheia de I don’t understands, muita risada, muita confusão entre idiomas, uma cantada italiana aqui e ali… Aprendi que o marisco que fica grudado nas pedras é comestível e aparentemente nunca ter comido um ouriço é algo anormal!

O Andrea está viajando pela Europa e chegou em Ibiza há 4 dias, e tem dormido na rua todo esse tempo. No frio, só ele e a mala. Sem planos, ele somente veio. Vai embora no domingo. Teve um momento que ele me contou algo sobre um casal e um cobertor, mas não entendi muito bem.

Ele me deu o e-mail pra eu mandar as fotos, e trocamos número de celular, pra caso quisessemos sair à noite.

Fui pra casa, estava passando as fotos pro PC, pensando sobre essa tarde aleatória e interessante que havia passado, quando minha sogra vem contar que ontem à noite ela e o marido estavam passeando, e se depararam com um rapaz deitado no chão, em cima de uma mala. Voltaram pra casa, pegaram um cobertor velho e deram pra ele.

Tô até agora sem acreditar nessa obra do universo.

Fico pensando, se eu tivesse dormido mais tarde ontem, ou acordado mais tarde hoje… Se eu não tivesse ido correr, ou se eu tivesse ido tirar fotos em outro lugar… Quem sabe qual segundo teria sido o segundo errado no meu dia, e então eu não teria conhecido o Andrea. A história do rapaz dormindo na rua ontem à noite teria passado despercebida. Mas todos os segundos se encaixaram perfeitamente.

É incrível como as coisas acontecem. Como o mundo é pequeno.

Verão Sem Identidade

Ibiza no verão é uma mescla imensa de nacionalidades, turistas por todos os lados. Isso é óbvio.
Eu nunca tinha sentido como é isso na pele até vir morar aqui. Sou de São Paulo, uma cidade multicultural – eu mesmo morava em um bairro onde se falava mais chinês e japonês que o próprio português. Porém, não tão turística como um lugar igual Ibiza.

Sei que em algumas cidades grandes e turísticas europeias, como Londres e Paris por exemplo, isso é algo rotineiro, algo que a cidade vive 24/7, 365 dias por ano. Não existe tempo ruim, faça sol ou faça chuva, os turistas estarão lá. Mas Ibiza é uma ilha que vive de temporada, o que quer dizer que: só funciona no verão. O inverno aqui é vazio, solitário, silencioso… E bem espanhol. Já a partir da primavera, tudo começa a voltar à ativa, e parece que a ilha acorda após uma longa hibernação. A ilha deixa sua identidade pra trás, e se torna completamente internacional.

Aqui eu entendi a mistura de povos que acontece na Europa, com todos esses países tão pertinho um dos outros – e tamanho fácil acesso entre eles.

Às vezes ando na rua aqui, e me sinto na Inglaterra, na Alemanha, na Holanda, na Itália… Tudo menos Espanha.
Tem dias que eu até brinco, fico vendo quanto tempo leva até eu ouvir alguém falando espanhol. Dependendo da região que você está, isso pode levar um bom tempo.

Brincamos também sobre Ibiza ser o litoral da Inglaterra, enquanto Palma de Mallorca (a ilha ao lado) é o litoral da Alemanha, rs.

A cidade de Sant Antoni de Portmany é onde há a maior concentração de britânicos em toda a ilha. Eles são nossos turistas nº1, então é bem comum ouvir sotaque britânico pra tudo quanto é lado.

Ibiza no verão não é a loucura que eu achei que fosse. Quem vê de fora certamente pensa que é igualzinho como passa na TV. Mas eu percebi que se você não quer festa e loucura, elas não chegam até você.

A cidade de Ibiza, onde moro, é bem tranquila comparada à outras mais movimentadas (Sant Antoni, por exemplo). Não se vê nada de estranho nas ruas, se vê muitas famílias, pessoas indo aproveitar a praia, dando um passeio pelo porto… É um verão comum, ordinário. É o velho caso de “quem procura, acha”, porque aqui, você só acha aquela loucura toda pela qual Ibiza é famosa, se você realmente procurar.

Bem… Sant Antoni é sim um caso à parte, já que a única vez que visitei a cidade à noite, vi gente pelada, gente drogada, gente bêbada, gente brigando, gente gritando… Agora você já sabe onde ir caso queira ver tudo isso! Haha (E agora você também sabe porque os britânicos tem tanta má fama por aqui…)

E onde quero chegar? Na verdade estava apenas refletindo sobre o que observei nesse verão que já está chegando ao fim.

Ibiza no verão, terra dos intermináveis dias de Sol, e dos jogos de “adivinha qual o idioma” toda vez que vai à rua. Não necessariamente algo ruim, claro. Eu mesma gosto de ver toda essa mistura.

Agora que já estou de saco cheio do calor, e dando graças pelos dias de chuva, fico apenas imaginando como será a transição para o retorno do inverno, aos dias frios, vazios, e (quase) completamente espanhois. A ilha será abandonada por mais um ano, suas praias vão descansar do lixo e da superlotação. Hibernará, mais uma vez, até os próximos dias de Sol.

De Bike: Conhecendo Marina Botafoch

Bora fazer mais um passeio de bike por Ibiza? Bora!

Marina Botafoch é a continuação do Porto, você segue reto o caminho do Porto, pega uma estradinha e chega então na Marina. Tudo pela ciclovia.
20150716_203725

Garagem de barcos!
Lugar bom e amplo pra ficar dando voltinhas de bicicleta haha.

20150719_194155

Da Marina saem as balsas maiores (de carros) que vão até Barcelona.20150614_174521

No meio do caminho tem um parquinho – assim, bem no meio do nada mesmo haha – nesse dia tava vazio então aproveitamos pra brincar à vontade \o/ ainda não tinha começado o verão, agora sempre que passamos lá tá cheio de pais e crianças.20150614_175524

20150614_175758

Bancando a esportista do parquinho, só parece

Não tenho problema nenhum pra escalar montanha, pedra, vou na boa… Mas barras de metal e plástico??? Tenho um medo que só hahahaha. Não confio muito em coisas construídas pelo homem..

20150614_175827

20150614_181059

20150614_182337

Subindo o Farol

20150716_194255

Bem de frente pra Marina tem uma montanha, já havíamos passado por ela uma vez mas não percebemos que tinha uma estrada nela. No dia que vimos pegamos essa estradinha e subimos essa montanha toda. Foi um ACHADO! Esse lugar tem uma das vistas mais lindas que já vi aqui. É um lugar meio escondido, que turista não conhece, mas deve ser acrescentado SEM FALTA à sua lista de lugares pra visitar em Ibiza!

20150716_201838

Praia de pedra escondida na Marina! Pode não parecer na foto mas a água era suuuper clarinha e transparente! Adoro fazer esses passeios, porque assim você descobre várias coisas escondidas que turista nenhum conhece (ainda mais aqui, que todo mundo vêm só pra ir em umas baladas, as praias mais famosas e só…)

20150719_182935

Nessa estradinha você vê pessoas de bike, carros, pessoas correndo, fazendo caminhada…

20150716_201544

Fala se é lindo ou não é? E ao vivo é muito mais…

20150716_202044 20150716_202033

Brincando com as sombras de novo rs sou incorrigível.

20150716_195144

Belo ângulo do farol!

20150719_182412

20150716_194619

20150716_194850 20150716_194756

E aí quando você chega láaa em cima, é um pico de onde dá pra ver praticamente Ibiza inteira, em 360º! To dizendo que vale muito a pena. E nem cansa muito não 🙂 eu tô super fora de forma e tenho bronquite asmática, então pra eu dizer, é porque é de boa mesmo hahahaha.

20150716_200110 20150716_200104 20150716_19580920150716_195806

20150716_195655

Esse morro todo aí do lado esquerdo é outra praia escondida que descobrimos, continue lendo pra saber mais!

Descendo a montanha e agora indo pra direção contrária ao farol (voltando pro porto, só que do outro lado da estrada), tem uma outra praia escondida! Só que o lugar é só pedra mesmo, e envolve bastante escalada e equilíbrio pra atravessar ele até o fim, até onde não dá pra andar mais (o que eu fiz, claro!). Amarramos as bikes num poste antes de descer aí, porque óbvio, não dá pra levar a bike junto.

20150719_190625

Essa é a montanha que subimos, vista da praia escondida 🙂

20150719_185424 20150719_184219

A carinha de arteira20150719_191538

20150719_191531

Essas algas mortas no chão fedem que é uma maravilha!

E acabo por aí mais uma recomendação minha de passeio de bike por Ibiza! Espero que tenham gostado, e caso venham pra cá, não deixem de conferir 🙂 (dá pra fazer tudo a pé também ok!)

20150719_193333

Lindo caminho de trepadeiras pela Marina, muito gostoso!

Geeeente que ainda não me segue no Instagram! Eu to sempre atualizando, então não perde mais tempo e corre pra lá também —–> Instagram da Bree

Un beso y un queso! Inté mais 😉